A CRIANÇA NUMA SOCIEDADE DECADENTE – 9 (Liderança Irresponsável)

1) NÃO HÁ VERDADE (postagem dia 09 de junho)
2) NÃO HÁ AMOR (postagem dia 22 de junho)
3) NÃO HÁ CONHECIMENTO DE DEUS (postagem dia 05 de julho)
4) PREVALECE A VIOLÊNCIA (postagem do dia 11 de julho)


5) LIDERANÇA IRRESPONSÁVEL — O povo não estava recebendo, dos seus profetas e sacerdotes, a orientação segura nas questões éticas, morais, sociais e espirituais. Os líderes eram corrompidos e estavam desviados do padrão de Deus, sendo assim totalmente incapacitados e desqualificados para ajudar os seus fiéis.

A irresponsabilidade dos líderes é que estava levando a nação à ruína. Eles falharam no seu dever de instruir o povo no conhecimento de Deus, pois eles mesmos rejeitaram este conhecimento, como lemos em Oséias 4:6 – “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.”

O profeta Malaquias, no capítulo 2:7-9, registrou: “Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens procurar a instrução, porque ele é mensageiro do Senhor dos Exércitos. Mas vós vos tendes desviado do caminho e, por vossa instrução, tendes feito tropeçar a muitos; violastes a aliança de Levi, diz o Senhor dos Exércitos. Por isso, também eu vos fiz desprezíveis e indignos diante de todo o povo, visto que não guardastes os meus caminhos e vos mostrastes parciais no aplicardes a lei.”

O que aconteceu é que, ao crescer a autoridade, riqueza e poder dos líderes, estes abandonaram os seus ideais. A prosperidade e o desenvolvimento aumentaram o pecado e o afastamento do Senhor, e os líderes, para manterem seu “status”, se viam estimulando até os pecados e os vícios do povo: “Alimentam-se do pecado do meu povo e da maldade dele têm desejo ardente” (Oséias 4:8). O fato é que, quanto mais o povo pecava, mais sacrifícios teria de oferecer e os sacerdotes mais ganhariam com isto. Que tragédia!

Oséias continua dizendo: “Por isso, como é o povo, assim é o sacerdote; castigá-lo-ei pelo seu procedimento; e lhe darei a recompensa das suas obras” (Oséias 4:9), significando que tanto os pecados do povo como os dos sacerdotes são iguais e que ambos são culpados.

Há um ditado que diz: “Cada povo tem o governo que merece” e a história tem demonstrado, que nenhum povo pode chegar a ser melhor, mesmo na área da religião, do que os seus instrutores. Na época de Oséias, entregavam-se à sensualidade, ao vinho, à prostituição. Este “espírito de prostituição os enganou” (Oséias 4:12), destruindo o caráter e conduzindo não só à licenciosidade como também à idolatria.

Naquela sociedade decadente e depravada, o que predominava era a adivinhação, a feitiçaria e a superstição. Praticaram aquilo que Deus chama de abominação e o adultério tornou-se comum; “o povo que não tem entendimento corre para a sua perdição” (Oséias 4:14).

A Palavra de Deus é clara quanto às qualidades de alguém que deseja ser um líder: “É um dito verdadeiro que, se um homem deseja ser pastor, tem uma boa ambição. Porque um pastor deve ser um homem bom, contra cuja vida não se possa falar nada. Deve ter apenas uma mulher, e deve ser trabalhador incansável, cuidadoso, ordeiro, e cheio de boas obras. Deve ter prazer em receber hóspedes em casa, e deve ser um bom mestre da Bíblia. Não deve ter o vício da bebida, nem ser um valentão, mas sim deve ser amável e bondoso, e não ter amor ao dinheiro. Deve ter uma família bem educada com filhos que obedeçam depressa e com docilidade. Porque se um homem não consegue fazer com que sua própria família, que é pequena, se comporte bem, como pode ajudar a igreja toda?” 1 Timóteo 3:1-5 (Bíblia Viva). Estariam, os atuais líderes, qualificados?

Quantos líderes, até importantes em suas igrejas locais e no âmbito de suas denominações, não estariam de acordo com o padrão de 1 Timóteo 3:1-5, pelo fato de terem um casamento arruinado e não terem conseguido que a sua própria família, que é pequena, se comportasse bem. Infelizmente, esta é a realidade.

Tiago também afirma: “Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo” Tiago 3:1

Quem está numa posição de liderança haverá de influenciar. Será uma influência para o bem, ou para o mal? Veja esta citação de Leomte du Nouy: “Não podemos deixar de ficar admirados ante a desproporção que há entre a duração da existência terrena de um homem e a duração de sua influência sobre as gerações futuras. Cada um de nós deixa uma trilha modesta ou rebrilhante: e essa convicção deveria fazer-se sentir em todos os atos de nossa vida”. Que influencia estarei deixando?

O exemplo de Paulo, que disse “esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado” 1 Coríntios 9:2é impressionante e nos exorta a levar muito a sério a responsabilidade de ser líder.

Há uma falta de modelos, de exemplos. “Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus; e, considerando atentamente o fim da sua vida, imitai a fé que tiveram.” Hebreus 13:7 Uma pessoa é digna de ser imitada, quando dá um bom exemplo até o fim de sua vida.

Um pai, pelo seu exemplo, poderá arruinar ou salvar o seu próprio filho; da mesma forma que uma mãe, também pelo seu exemplo, poderá erguer ou degradar a sua própria filha.

A experiência e a própria ciência estão comprovando que a maioria dos graves problemas que afetam as nossas crianças e adolescentes (drogas, homossexualismo, rebeldia) tem sua origem na irresponsabilidade de seus pais.

No âmbito da igreja, não há necessidade mais urgente do que ter diante de nossas crianças, professores preparados, não só intelectualmente, como também, espiritualmente; e que paguem o preço de submeterem-se, em todas as áreas, ao padrão da Palavra de Deus.

Dá-nos, ó Deus, homens e mulheres que possam marcar a nova geração com exemplos dignos de serem seguidos. As crianças precisam de pais, de professores, de pastores, que sejam fiéis no cumprimento de suas responsabilidades e totalmente dedicados a viver para a glória de Deus.

(continua…)

Publicado por

apecbrasil

A APEC - Aliança Pró Evangelização das Crianças... ... foi fundada em 1937, nos Estados Unidos da América, pelo Rev. Jesse Irvin Overholtzer, um homem a quem Deus deu a visão dos meninos e meninas que precisavam do Salvador. O trabalho da APEC está estabelecido no Brasil desde 1941 e é autônomo em relação à Sede Internacional, possuindo direção, expansão e sustento nacionais. O Brasil foi o primeiro país a ter a obra missionária da APEC. A proposta hoje é a mesma do fundador. A APEC é uma obra de fé, fundamentada na Bíblia, formada por crentes nascidos de novo, que visa evangelizar crianças apresentando-lhes o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, discipulá-las na Palavra de Deus e encaminhá-las a uma igreja evangélica onde possam crescer em sua vida cristã. Um ministério que se preocupa com as crianças de todo o mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s